pesquisa google

Pesquisa personalizada

quinta-feira, 24 de setembro de 2009

PALESTRA ESPIRITUAL



Vou falar para voz
de um sonho tão real
sonhei que pelos céus voava
acompanhado de um amigo leal
e que o infinito quase tocava

o sol brilhava,brilhava
nas azuis aguas do mar se refletia
nada de entraves em seu caminho
a todos os seres com seu calor aquecia

sonhei então que a terra voltava
fui parar em um auditório
pairando proximo ao teto
eu volitava

do alto,vi o prédio lotado
todos ali aguardavam
uma palestra no horario marcado

senti uma forte atração
uma força que não pude resistir
de volta me encontrava ao chão
para a palestra também assistir

porém ao olhar para o lado
que grande a minha surpresa
o auditorio que eu vi lotado
aqui de modo que eu veja
apenas meia duzia de gato pingado

meu amigo silêncioso
rompe sua habitual quietude
ao notar meu espanto
solicita-me mudar de atitude

guardo silêncio dentro da sala
escuto inquieto a palestra
que o orador nos fala

não lembro de pronto o conteudo
o teor do falatório pois estava muito preocupado
com o que houvera no auditório

finda-se então a palestra
e antes vir embora
escuto meu solêncioso amigo
uma explicação sem demora
do fato ocorrido

dizia-me ele então
que o que eu vira não éra iluzão
todos que ali estavão
também éram irmãos

falou-me então do mundo
e falou-me do outro mundo
do mundo dos homens
do mundo dos espiritos
do mundo de provas e de dor
e do mundo de amor

falou-me da evolução dos espiritos
da roupa da alma
explicou-me que não há morte
da nescecidade de reencarnar
a qual da vida faz parte

voltei-me com olhar curioso
como criança a indagar
e antes de eu perguntar
antes da pergunta formular
ele me responde
que o trabalho não deve parar

volto a perguntar
a que trabalho se refere
e antes de qualquer reação
meu corpo se move
hora de voltar

ainda há perguntas
que devo fazer
mas sei que na hora certa
alguém há de me esclarecer



A LIBERDADE DA ALMA





A LIBERDADE DA ALMA

já tentei tocar o céu
bem alto voar
ultrapassar as nuvens
sem sucesso lograr

anseio pela liberdade
dos grilhões da vida,despir
anseio a liberdade das avez
a alegria de ir e vir

porém preso me encontro
aos grilhões dos pecados passados
das vidas de outras éras
de vidas, sem recatos

talvez melhor assim seja
os grilhões da moralidade
aprisionam munha alma
sem chance de liberdade

porém eu sei
que de pecados redmidos
a alma será liberta
e todos grilhões destruidos

um novo lar, hei de habitar
longe de malfasejo anseio
volitar em novo mundo
aprender é meu desejo
antes da terra
retornar ao seio

livros de autores
deste mundo ausente
vou ler.vou aprender
vou muito laborar
noutro mundo,
em que são presente